16 de agosto – Faltam 2 dias

16-agosto-2-dias-a

Orígem: Blog do Reinaldo de Azvedo
Autor: Reinaldo de Azevedo
Título: Aliança Nacional dos Movimentos Democráticos também cobra Janot e repudia Renan
Disponível em: http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/geral/alianca-nacional-dos-movimentos-democraticos-tambem-cobra-janot-e-repudia-renan/
Acesso em: 14 ago 2015

Continuar a ler

Ataques violentos X palavras violentas

Acho o conselho dado na matéria do link a seguir muito oportuno, por isso estou recomendando enfaticamente a sua leitura e aplicação. Principalmente nestes tempos de verdadeira guerra de opiniões entre os diversos movimentos da oposição.

É com extremo pesar que vejo intervencionistas e “impeachistas” (se é que isso existe) se degladiando e, o que é pior, se odiando, o que, na minha opinião nada mais é do que fazer o jogo da política do ódio comunista e dar aos petistas mais duas “classes” para eles instigarem e se alimentarem do ódio mútuo. Ou a oposição se une, ou teremos que chegar ao estágio que chegou a Venezuela para que todos se unam, como ocorreu naquele país, no sábado passado no movimento 30M.

Por oportuno, aproveito para sugerir o vídeo a seguir, onde o Dalmo Accorsini presta esclarecimentos sobre as táticas que está empregando para denunciar a Smartmatic, no Brasil e em Haia, bem como para tentar “melar” a indicação de Lula, ao Nobel da Paz. Para quem ainda não conhece o trabalho do Dalmo, achei o vídeo bastante esclarecedor.

marketing_grito_boca_no_trombone

Na guerra política, o agressor geralmente prevalece. Eis um fato da vida, para o qual não há mais discussão. Mas essa regra é muito mal compreendida.

Veja exemplos de comentários que deletei em meu blog ontem:

  • Se eu estivesse lá tinha arrumado uma confusão porque pelo menos um murro na cara desse velho eu tinha dado.
  • (x) é um p* no c*, e ela é uma vadia que esfrega garrafa na x*
  • (y) tem mais é que levar porrada mesmo
  • se eu ver (j) vai levar um cacete bem dado. vai apanhar até perder a catinga de v*…

Essas são palavras violentas, mas não servem a absolutamente nada, a não ser munição para o adversário. Alias, eu deletei porque nem sei se todos são leitores ou são enviados pelo adversário – se bem que ao menos um eu sei que é leitor. Agora com o Humaniza Redes, bem podem os…

View original post mais 201 palavras

Oposição ao PT – Pontos a Melhorar

O Pavilhão Nacional tremula sobre o Copacabana Palace

O Pavilhão Nacional tremula sobre o Copacabana Palace

Título: Eis o framework da guerra política 1.0. Onde você está?
Disponível em: http://lucianoayan.com/2014/11/15/eis-o-framework-da-guerra-politica-1-0-onde-voce-esta/#comment-46745
Acesso em: 16/11/14

Achei excelente o conteúdo deste material. Se bem aproveitado pelas lideranças dos movimentos de oposição ao Governo, poderão ser muito úteis.

Gostaria de comentar, não como crítica, mas como oportunidade para melhoria de suas lideranças, de alguns deslizes – em minha opinião – ocorridos em manifestações que participei aqui no Rio de Janeiro.

Participei, como observador apenas, de duas manifestações aqui no Rio de Janeiro e me pareceu evidente que aqui, pelo menos, ainda há muito o que fazer para melhorar a participação das pessoas.

Ambas as manifestações foram dirigidas por pessoas esforçadas, trabalhadores e empresários cheios de boas intenções, os quais angariaram meu respeito e admiração. Principalmente porque eram pessoas com muito pouco dinheiro para investir num evento desse porte. Portanto, dignas de elogios pelos sacrifícios que, sem dúvida, fizeram para tudo dar certo.

A primeira manifestação foi programada para as 16:00 h do dia 13/11 em frente à Candelária. Esta manifestação, com cerca de 60 pessoas, primou pelo clamor do apelo à intervenção militar. Aparentemente, eles não tinham a menor ideia do prejuízo para o movimento, centrá-lo nessa reivindicação.

Depois uma senhora, que se identificou como professora, pediu a palavra e em determinado momento de sua fala resolveu se dirigir às “mulheres” ali presentes. Senti que ela, ao fazer essa convocação dividiu as pessoas. Não tinha também, me parece, a mínima ideia de que estava seguindo um tática esquerdista.

Pela Liberdade de Imprensa!

Pela Liberdade de Imprensa!

A manifestação na Praia de Copacabana, apesar da chuva e do frio, foi um pouco maior (200 ou 300 pessoas, mais ou menos) e teve momentos de grande emoção como quando o Copacabana Palace, voluntariamente, em meio dos discursos que ocorriam, hasteou no seu ponto máximo, uma enorme Bandeira Nacional que foi saudada por todos os presentes com o Hino Nacional.

Mas houve também momentos não tão emocionantes, como aquele em que os discursos foram interrompidos por uma voz num alto-falante portátil que vinha dos organizadores de outro evento igual, que fora programado em outro ponto da mesma Praia de Copacabana, às 10:00 h do mesmo dia 15/11.

08-manifestacao-20141115-30

Talvez alguns se lembrem que aqui mesmo pedi, sem sucesso, informações sobre o evento no Rio de Janeiro. Fiz isso também em algumas comunidade do Facebook e só poucos dias antes do dia 15, “descobri” que o evento fora programado para aquele local onde eu estava. Nunca tinha ouvido falar do evento das 10:00 da manhã.

O pior foi o bate-boca que se seguiu entre as duas lideranças dos três movimentos (porque os líderes do movimento de 13/11 também estava lá), uma das manifestantes do grupo das 10:00 h, bastante destemperada, quase chegando às vias de fato.

Temos um longo caminho a percorrer para nos igualar em profissionalismo com o Rolo Compressor dos marqueteiros do PT que programam as manifestações chapa-branca deles. Isso não necessariamente significa ter muito dinheiro, mas significa , isto sim, muito debate, diálogo e organização, entre os diversos líderes dos movimentos de oposição, para centrar as manifestações em apenas um ou dois focos, como escreveu o Luciano, os focos mais urgentes no momento atual, e então todos nós trabalharmos juntos pelo sucesso de nosso empreendimento.

Rio de Janeiro-15 de novembro de 2014-Movimento Fora Dilma!

O Copacabana Palace hasteia a Bandeira Nacional durante o evento. Participantes cantam o Hino Nacional

O Copacabana Palace hasteia a Bandeira Nacional durante o evento. Participantes cantam o Hino Nacional

Atualizado em 18/11/14

O Rio de Janeiro, Estado em que o partido que ficou famoso por mais defender os bandidos do que o cidadão honesto e trabalhador, o PSOL, teve uma votação expressiva, ainda engatinha no movimento de oposição ao esquerdismo sanguinário representado pelo PT e sua linha auxiliar.

O movimento, uma iniciativa definitivamente popular e cheia de muito amor pela liberdade e dedicação de seus organizadores, para mim foi um sucesso. Ainda temos um longo caminho a percorrer. Mas a manifestação cumpriu com o seu objetivo. Também aqui no Rio existem as pessoas que não se calam diante do mal.

Manifestantes concentrados na praça em frente ao Copacabana Palace

Manifestantes concentrados na praça em frente ao Copacabana Palace

Não foi um movimento de massa, como o de São Paulo, no dia 01/11/14, Talvez umas 200 ou 300 pessoas, no máximo. Chovia razoavelmente. Mas em 01/11/14 também foi pequena a participação e nesse dia, estava um sol de rachar e o metrô estava lotado de banhistas. Portanto, o problema não é o sol ou a chuva. Talvez, a dispersão das lideranças, que fez com que o evento não tivesse a divulgação que merecia, aliado, naturalmente, ao macunaímico comodismo do brasileiro médio (com o quê têm contado os partidos de esquerda para dominar e manter o povo na sonolência que foi responsável para que a deterioração de nossa democracia chegasse ao ponto em que o demonstram as recentes ações da Polícia Federal em todo o Brasil).

Como quem me acompanha no FB sabe, tentei exaustivamente descobrir se haveria – e onde – seria a manifestação aqui no Rio.

A favor da liberdade de imprensa!

A favor da liberdade de imprensa!

Foi assim que descobri (e participei) de uma pequena manifestação na quinta feira, 13/11/14, na Candelária. Desta, em frente ao Copacabana Palace, só obtive confirmação há uns 3 ou 4 dias. Pois, no final do evento, foi comunicado que havia sido programado outro, também para hoje, 15/11/14, em outro ponto da Praia de Copacabana, às 10:00 h da manhã. Nunca li nada a respeito na Internet, malgrado meus esforços em descobrir se haveria no Rio algo parecido ao que se programava para São Paulo. Uma desavença entre as lideranças das manifestações nesse momento levou ao que, segundo pareceu, um esforço para haver entendimento entre as lideranças para os próximos eventos. Tentarão se unir. Espero que o façam em nome de nossa luta que não é por nenhuma bandeira senão uma democracia forte, adulta, à prova de quadrilhas e gângsteres, com os 3 poderes independentes, atuando juntos para o progresso e bem-estar do sofrido povo brasileiro.

Manifestantes cantam o Hino Nacional perante a Banderia do Brasil hasteada no Copacabana Palace.

Manifestantes cantam o Hino Nacional perante a Banderia do Brasil hasteada no Copacabana Palace.

Não podia terminar este relato sem um comentário sobre um dos momentos mais emocionantes do movimento que quase me levou lágrimas aos olhos. Em dado momento alguém anunciou que o Hotel havia hasteado no seu ponto mais alto a Bandeira Nacional. Todos se voltaram para ver e ao mesmo tempo em que os participantes se perfilavam em direção ao nosso emblema maior. foi entoado o Hino Nacional. Mesmo que tivessem apenas 2 ou 3 pessoas, esse momento foi único e mostrou o verdadeiro símbolo que nos une como povo, como nação e como país livre e independente!

“Sem cestas” chantageiam hipermercado em Belo Horizonte

invasao-hipermercado-minas-gerais

Em 24 de dezembro próximo passado, um hipermercado em Belo Horizonte foi invadido por cerca de 150 pessoas (segundo noticiado) reivindicando 300 cestas básicas.

Apenas depois de terem conseguido extorquir da empresa metade do pretendido, 150 cestas básicas, é que abandonaram o local.

O vídeo da convocação da invasão:

Fonte: Fora PT – Youtube
Título: CONVOCAÇÃO PARA INVADIR SUPERMERCADO EM NOME DA JUSTIÇA SOCIAL
Disponível em: http://youtube/O0gCAVik1O8
Acesso em: 26 dez 12

A notícia;
Fonte: Correio Braziliense
Título: Por cestas básicas, manifestantes invadem hipermercado de Belo Horizonte
Disponível em: http://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/politica-brasil-economia/33,65,33,12/2013/12/24/interna_brasil,405002/por-cestas-basicas-manifestantes-invadem-hipermercado-de-belo-horizonte.shtml
Acesso em: 25 dez 2013

“Dirigente da empresa prometeram doar 150 cestas. Líderes do movimento podem responder na Justiça por invasão de espaço privado

Thiago Lemos – Estado de Minas

Publicação: 24/12/2013 09:15 Atualização:

Depois de ocuparem por mais de três horas o hipermercado Extra, no Bairro Santa Efigênia, Região Leste de Belo Horizonte, integrantes do Movimento de Luta nos Bairros, Vilas e Favelas (MLB) decidiram deixar o local após um acordo com a direção da empresa. No começo da noite dessa segunda-feira (23/12), cerca de 150 pessoas invadiram o estabelecimento exigindo 300 cestas básicas, e saíram pacificamente após receberem a promessa de levar a metade dessa quantidade.

Manifestantes gritam palavras de ordem e exigem a liberação de cestas básicas para desocupar o hipermercado

O grupo com homens, mulheres e crianças chegou ao Extra, na Avenida Francisco Sales, por volta das 18h. Os manifestantes se posicionaram atrás dos caixas e com o auxílio de um megafone gritaram para os clientes palavras de ordem contra o consumismo nesta época do ano, pedindo mais solidariedade. A Polícia Militar foi acionada para controlar a situação e negociar a desocupação, que só aconteceu quando dirigentes do hipermercado prometeram doar 150 cestas na manhã de terça-feira (24/12). Militares do Policiamento Especializado da Capital acompanharam toda a ação para evitar tumultos e saques.

Mesmo com o acordo entre os manifestantes e direção do hipermercado, a Polícia Militar informou que será aberto um inquérito contra os líderes do movimento pelo cometimento do ato ilegal de invadir um espaço privado para a realização de protesto. “Não há amparo legal para fazer manifestação dentro do supermercado. Essa imposição de 300 cestas é uma extorsão”, definiu o comandante do 1º Batalhão da Polícia Militar, Tenente-Coronel Helbert Figueiró.

Leia mais notícias em Brasil

Segundo Leonardo Péricles, um dos organizadores do movimento, os alimentos são para garantir um Natal sem fome para os moradores das ocupações Eliana Silva, na Região do Barreiro, e Rosa Leão, Esperança e Vitória e Camilo Torres, essas na Região Norte da capital. Ainda segundo o organizador, a ação faz parte de um movimento nacional.

Diante da manifestação no hipermercado, os dirigentes do Extra negociaram com os líderes do movimento e chegaram a oferecer 100 cestas básicas e ajuda às famílias que se cadastrassem no programa assistencial da rede. No entanto, a oferta foi recusada e uma nova rodada de negociação foi aberta. O impasse só chegou ao fim com a promessa do hipermercado em doar 150 unidades às 11h desta terça-feira.

Em nota, o Extra informou que o grupo a qual pertence a empresa organiza campanhas de mobilização social, como ações de arrecadação de livros, agasalhos e brinquedos.
Comentários no Correio Brasiliense”

A notícia (contém vídeo da manifestação)
Fonte: Estado de Minas Notícias
Título: Manifestantes invadem hipermercado na Região Leste de BH e exigem cestas básicas
Disponível em: http://www.em.com.br/app/noticia/gerais/2013/12/23/interna_gerais,482143/manifestantes-invadem-hipermercado-na-regiao-leste-de-bh-exigem-cestas-basicas.shtml
Acesso em: 25 dez 2013

Meus Comentários
No dia em que o acontecido apareceu nas redes sociais me perguntava como 150 pessoas muito bem nutridas, são mobilizadas para chantagear um hipermercado na véspera do Natal? Com a divulgação do vídeo de convocação, a resposta está clara!

Obviamente trata-se de um movimento organizado por entidade interessada em desestabilizar a sociedade brasileira. Tendo em vista os acontecimentos recentes, de teor ideológico idêntico, que ocorreram na América Latina (Venezuela e Argentina), alguém tem dúvida de que o Foro de São Paulo esteja por trás do movimento?

Um olhar crítico dos manifestantes deixa clara a farsa. Basta ver a aparência dos supostos “sem cesta”, a começar pelo muito bem nutrido líder do assalto, que grita palavras de ordem ao alto-falante (na foto e no vídeo)! São mesmo a imagem dos indigentes famintos proclamados no vídeo de convocação?

Se acreditou na convocação para a chantagem, um conselho:[Re] Pense!

Pediram 300 cestas básicas: saíram com 150.

Conclusão: Movimento totalmente bem-sucedido. Sucesso tirado em cima da indefesa sociedade civil e da omissão das autoridades constituídas que, graças a seu passado terrorista, apoiam e exaltam esse tipo de iniciativa.

Podemos aguardar para breve os desdobramentos nas demais grandes capitais do país.

Adendo especial:
Recomendo a leitura o excelente artigo de Rodrigo Constantino: A imoralidade de Robin Hood. Ou: Famintos que usam Facebook?