O dia em que Duvivier viu o mundo sem (todas) as viseiras da extrema-esquerda

Desde as primeiras imagens do ataque ao Charlie Hebdo que penso nesse ator em razão de uma polêmica surgida a respeito de um vídeo do Porta dos Fundos sobre o nascimento do Cristo, publicado, se não estou enganado, próximo ao Natal de 2012 ou 2013. Video este que me levou a me juntar aos religiosos que protestavam por ser desrespeitoso para com suas crenças. Naquela ocasião, parei de acessar o sítio do Porta dos Fundos na Internet, o que não deve tê-los prejudicado em absolutamente nada.

Os eventos da semana passada me ajudaram a clarear bastante o sentido da frase Liberdade de Expressão que o governo do PT está se esforçando por sufocar aqui no Brasil a exemplo do que já fizeram bem-sucedidos ditadores sul americanos como Maduro, da Venezuela e a Kirschner da Argentina.

O que o Duvivier fala aqui, nesta matéria, é um soco na boca do estômago de todos os representantes covardes ou psicopatas (não sei como classificá-los) da imprensa chapa branca que se levantaram para acusar as vítimas e defender os terroristas os quais, como aquela que nos governa, só entendem que “direito à vida” só têm aqueles que se sujeitam às suas ditaduras.

Jamais seria leitor assíduo do Charlie Hedo se fosse publicado aqui no Brasil, como fui, no passado, na época do regime militar. do Pasquim, porque respeito que outras pessoas considerem sagrados e dignos de respeito símbolos e valores que não são exatamente os meus. Mesmo assim, considero os jornalistas assassinados ,mártires da democracia como, aliás, qualquer pessoa normal, em seu estado mental equilibrado.

Também não tenho certeza se voltarei a colocar o Porta dos Fundos entre os meus “Favoritos” do Youtube, mas admito que, apesar das ideias socialistas que defende, e mesmo tendo se limitado apenas à arte do humor – o que não significa que ele não apoie a “democratização” dos meios de comunicação proposta por Dilma e seus cúmplices – o Duvivier ganhou meu respeito pela coragem de se colocar contra seus pares ideológicos nesta questão todo importante que é a da liberdade total de expressão!

gregorioduvivier

O fim do mundo parece estar próximo. Depois de Adriana Calcanhoto, é a vez de Gregório Duvivier falar algo para desgradar o partidão. Ontem ele lançou o texto Viva a Falta de Respeito, humor não é ofensivo, na Folha:

Um dos problemas de morrer é esse: vão falar muita asneira a seu respeito. E você já nem pode se defender. Não bastou serem fuzilados, os cartunistas do “Charlie Hebdo” foram vítimas de um massacre póstumo.

Pessoas de todas as áreas de atuação lamentaram a tragédia, MAS (não entendo como alguém, nesse caso, consegue colocar um “MAS”) lembraram que o humor que eles faziam era altamente “ofensivo”.

Poucas coisas irritam mais do que a vagueza desse termo “ofensivo” quando usado intransitivamente. Ofensivo a quem? A mim, definitivamente, não era. “Eles não deviam ter brincado com o sagrado”, alegam alguns. MAS (aqui sim cabe um “mas”) o que define o humor…

View original post mais 655 palavras

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s