Segundo o Estadão, os cubanos temem que a abertura da economia aumente a criminalidade

Old buildings and string of shoes.

O tweet que divulgou o artigo:
https://twitter.com/estadao/status/546991057360019456
estadao-twitter-20141226

Fonte: O Estado de São Paulo
Título: Cubanos temem que abertura na economia aumente criminalidade
Autor: Rodrigo Cavalheiro – enviado especial do jornal em Havana
Disponível em: http://internacional.estadao.com.br/noticias/geral,cubanos-temem-que-abertura-na-economia-aumente-criminalidade-imp-,1610782
Acesso: 26 dez 2014

Vamos analisar um pouco esta matéria.

Já no título Cubanos temem que abertura na economia aumente criminalidade, percebemos que segundo o jornal, aos olhos dos cubanos, a “abertura na economia” irá “aumentar a criminalidade” ou em outras palavras: Enquanto sob a ditadura comunista, os cubanos viviam num paraíso sem crimes (ou com “o menor índice de homicídios da América Latina” – mais adiante examinamos esta afirmação). Agora, com a “abertura capitalista” teme-se o aumento da criminalidade.

Ótimo o jornal conseguiu, com apenas 8 palavras gravar na mente do leitor ingênuo o binômio:
Comunismo = segurança
Capitalismo = aumento do crime.

Para chegar a esta conclusão, o jornalista se apoia em três depoimentos de cubanos, todos com mais de sessenta anos de idade. Não informa qual a autoridade que tais cidadãos têm para representar a população de Cuba, como quer dar a entender o título da matéria.

Mais adiante o jornal nos informa:

Moradores de um dos países mais seguros da América Latina creem que mudança na relação com EUA afetará sua tranquilidade.

Cuba é “um dos países mais seguros da América Latina” no entanto, um pouco depois o jornalista foi obrigado a reconhecer que

“Dados gerais sobre a criminalidade em Cuba são segredo de Estado”.

Apesar do “segredo de Estado”, surpreendentemente, o índice de 4,2 homicídios por 100.000 pessoas está publicado e é nele que o jornal baseia a sua conclusão sobre o lugar de Cuba no “ranking” da Segurança da América Latina.

Qualquer leitor atento se fará pelo menos duas perguntas:

  1. se os índices de criminalidade são “segredo de Estado”, qual a credibilidade que este número deve ter?
  2. se os índices de criminalidade são “segredo de Estado”, por que este índice foi divulgado?

As respostas não são nada difíceis para quem conhece um pouco do comportamento padrão de todas ditaduras e, por ser parte de um abrangente “segredo de Estado” tal índice jamais estará aberto ao escrutínio de entidades isentas e não comprometidas com a divulgação da ditadura Cubana.

Um dado revelador aparece nesta matéria que corrobora todas as acusações de privação das liberdades individuais que existe em Cuba. Para justificar porque os cubanos vivem em tal mundo maravilhoso em que a violência é tão insignificante que precisa ser mantida como “segredo de Estado”, o jornalista atesta:

“Além de policiais uniformizados, as ruas de Havana tem segurança invisível. cada quadra há um Comitê de Defesa da Revolução (CDR), onde os problemas da região são debatidos e levados ao regime. Nos anos 90, quando o narcotráfico tentou entrar na Ilha, informantes do CDR o inibiram. Hoje eles são uma versão das câmaras de segurança. (grifo acrescentado)

Um bom exemplo do que se pode esperar do futuro do Brasil, quanto aos papéis a serem desempenhados pelos sovietes do Decreto 8243. Já imaginaram como deve ser boa a vida num país em que, em cada bairro, em cada quadra, há um soviete de “Defesa da Revolução” sempre pronto para “levar para o regime” tudo o que aos olhos desse nefando “regime” constitui “os problemas” da região em que você vive?

4 comments on “Segundo o Estadão, os cubanos temem que a abertura da economia aumente a criminalidade

  1. Um pergunta que se sempre faço e até hoje nunca obtive resposta (nem mesmo em postagens de diversos blogs) é a seguinte: não está na hora de conservadores e o pessoal de Direta cancelar suas assinaturas para com jornais esquerdistas como Estadão, Folha de São e o Globo? Pelo amor de Deus! Esses jornais são verdadeiros vendedores de mentiras no Brasil! Até quando jornais como o Estadão vão continuar lucrando com mentiras?

    • erreve diz:

      Você está certo! Mesmo o Olavo de Carvalho em determinado momento aconselhou seus alunos a não perderem tempo lendo os jornais brasileiros. Mas se não os lermos aí é que ficamos totalmente alienados do que está acontecendo. Precisamos deles (dos jornais) mas sem censura, sem “democratização” dos meios de comunicação, sem “Ley de los medios”, Sem cerceamento os esquerdistas continuarão publicando suas asnices e fazendo a cabeça dos ignorantes, mas ao mesmo tempo uma parte da imprensa não engajada mostrará que a realidade é outra. Agora, quando o PT conseguir aprovar a censura à mídia, aí não sei a que fonte recorreremos para saber o que está acontecendo em nosso país. provavelmente nenhuma já que entraremos num período de trevas como vivem todos os países comunistas.

  2. Boa postagem. É sempre bom, que notícias como as que tais jornalecos esquerdistas sejam desmascaradas! É um vergonha que jornalistas obriguem os leitores e assinantes a engolirem o esquerdismo doentio defendido por eles!

  3. […] comentei aqui o artigo de Rodrigo Cavalheiro, publicado no jornal O Estado de São Paulo onde entre outras coisas […]

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s