Segundo o Estadão, os cubanos temem que a abertura da economia aumente a criminalidade

Old buildings and string of shoes.

O tweet que divulgou o artigo:
https://twitter.com/estadao/status/546991057360019456
estadao-twitter-20141226

Fonte: O Estado de São Paulo
Título: Cubanos temem que abertura na economia aumente criminalidade
Autor: Rodrigo Cavalheiro – enviado especial do jornal em Havana
Disponível em: http://internacional.estadao.com.br/noticias/geral,cubanos-temem-que-abertura-na-economia-aumente-criminalidade-imp-,1610782
Acesso: 26 dez 2014

Vamos analisar um pouco esta matéria.

Já no título Cubanos temem que abertura na economia aumente criminalidade, percebemos que segundo o jornal, aos olhos dos cubanos, a “abertura na economia” irá “aumentar a criminalidade” ou em outras palavras: Enquanto sob a ditadura comunista, os cubanos viviam num paraíso sem crimes (ou com “o menor índice de homicídios da América Latina” – mais adiante examinamos esta afirmação). Agora, com a “abertura capitalista” teme-se o aumento da criminalidade.

Ótimo o jornal conseguiu, com apenas 8 palavras gravar na mente do leitor ingênuo o binômio:
Comunismo = segurança
Capitalismo = aumento do crime.

Para chegar a esta conclusão, o jornalista se apoia em três depoimentos de cubanos, todos com mais de sessenta anos de idade. Não informa qual a autoridade que tais cidadãos têm para representar a população de Cuba, como quer dar a entender o título da matéria.

Mais adiante o jornal nos informa:

Moradores de um dos países mais seguros da América Latina creem que mudança na relação com EUA afetará sua tranquilidade.

Cuba é “um dos países mais seguros da América Latina” no entanto, um pouco depois o jornalista foi obrigado a reconhecer que

“Dados gerais sobre a criminalidade em Cuba são segredo de Estado”.

Apesar do “segredo de Estado”, surpreendentemente, o índice de 4,2 homicídios por 100.000 pessoas está publicado e é nele que o jornal baseia a sua conclusão sobre o lugar de Cuba no “ranking” da Segurança da América Latina.

Qualquer leitor atento se fará pelo menos duas perguntas:

  1. se os índices de criminalidade são “segredo de Estado”, qual a credibilidade que este número deve ter?
  2. se os índices de criminalidade são “segredo de Estado”, por que este índice foi divulgado?

As respostas não são nada difíceis para quem conhece um pouco do comportamento padrão de todas ditaduras e, por ser parte de um abrangente “segredo de Estado” tal índice jamais estará aberto ao escrutínio de entidades isentas e não comprometidas com a divulgação da ditadura Cubana.

Um dado revelador aparece nesta matéria que corrobora todas as acusações de privação das liberdades individuais que existe em Cuba. Para justificar porque os cubanos vivem em tal mundo maravilhoso em que a violência é tão insignificante que precisa ser mantida como “segredo de Estado”, o jornalista atesta:

“Além de policiais uniformizados, as ruas de Havana tem segurança invisível. cada quadra há um Comitê de Defesa da Revolução (CDR), onde os problemas da região são debatidos e levados ao regime. Nos anos 90, quando o narcotráfico tentou entrar na Ilha, informantes do CDR o inibiram. Hoje eles são uma versão das câmaras de segurança. (grifo acrescentado)

Um bom exemplo do que se pode esperar do futuro do Brasil, quanto aos papéis a serem desempenhados pelos sovietes do Decreto 8243. Já imaginaram como deve ser boa a vida num país em que, em cada bairro, em cada quadra, há um soviete de “Defesa da Revolução” sempre pronto para “levar para o regime” tudo o que aos olhos desse nefando “regime” constitui “os problemas” da região em que você vive?

O “affaire” Jair Bolsonaro x Maria do Rosário

Aqui vai um pequeno apanhado do que rolou desde o dia 10/12/14 em virtude de um pronunciamento do Deputado Federal pelo Rio de Janeiro, o Capitão Jair Bolsonaro.

Embora o foco aqui sejam as declarações do deputado e a defesa (ou ataque) que fizeram a ele com base nessas declarações, que fique claro que quem começou a discussão desrespeitando-o como parlamentar e, mais grave ainda, como homem de bem foi a Maria do Rosário que o chamou textualmente de estuprador o que lhe valeu a resposta atravessada que recebeu e o comentário de alguns nas redes sociais, no sentido de que se o Bolsonaro fosse mesmo estuprador ela, a Maria do Rosário, estaria defendendo-o.

O Estopim!

O Resultado

Em todas as páginas recomenda-se a leitura da área de comentários (quando houver) pois os comentadores também acrescentam muito ao texto principal.

Primeiro, um aula de estratégia que todo opositor do pêtê pode usar para aprender a lidar com essa gente:

Ceticismo Politico
Autor (de todos os textos): Luciano Ayan
Acesso em: 21 dez 2014

Textos indicados para a leitura:

  1. Por que Jair Bolsonaro vai perder mais uma batalha política? Vamos falar um pouco mais do óbvio.
  2. Os discursos da guerra política: o acerto de Olavo de Carvalho e o erro de Jair Bolsonaro
  3. Será que um demônio possuiu Ricardo Noblat para ele perder a honra ao falar do caso Bolsonaro X Rosario? Seja lá como for, vamos ao exorcismo.
  4. O caso Bolsonaro X Rosario. Alguns updates do dia.
  5. A pior chaga moral da postura governista no caso Bolsonaro X Rosário
  6. Por que expor a monstruosidade moral de Maria do Rosário e sua tropa não é “defender Jair Bolsonaro”?
  7. Por que a questão Bolsonaro X Rosário nos leva para a Dinamarca da época da polêmica das charges de Maomé?
  8. E, fechando a serie com chave de ouro, um exemplo da hipocrisia petista, que, protege os bandidos e estupradores e pede diálogo com os terroristas do ISIS ao mesmo tempo em que tem chiliques histéricos com as palavras do Deputado Jair Bolsonaro:
    ISIS lança folheto incentivando o estupro de mulheres e meninas capturadas. Agora é só assistir a (ausência de) reação petista…


Neste segundo bloco, “ligações” para a opinião do grande jornalista Reinaldo de Azevedo sobre o ocorrido:

Blog do Reinaldo de Azevedo
Autor de todos os textos deste bloco: Reinaldo de Azevedo
Acesso: 21 dez 2014

  1. É chegada a hora de dar um “Basta!” às boçalidades de Bolsonaro, hoje o mais importante aliado da esquerda boçal: ambos se alimentam e se merecem!
  2. Bolsonaro responde a meu post. E eu respondo a Bolsonaro. Ou: Seguidores do deputado pedem a minha cabeça à VEJA numa “petição”. Não me digam!
  3. Conselho de Ética abre processo contra Bolsonaro. É o certo! Se ele não se desculpar com as mulheres, que seja punido. Ou: Será mesmo que eu quero a simpatia das esquerdas?
  4. Minha coluna na Folha: “Petrossauro e Bolsonassauro”

Outras opiniões:

Autor: professor Olavo de Carvalho
Publicado em: Mídia Sem Máscara
Disponível em: Sobre Jair Bolsonaro: Olavo de Carvalho envia mensagem a Reinaldo Azevedo
Acesso em: 21 dez 2014

Disponível em: Três notinhas da semana
Acesso em: 21 dez 2014

Está aberta a temporada de caça ao deputado Jair Bolsonaro. Na verdade, sempre esteve, não sendo essa portanto a razão pela qual volto ao assunto. A razão é que agora os tiros vêm da mais inesperada das direções: a coluna do Reinaldo Azevedo. E vêm com aquela persistência inflexível do atirador que não aceita como troféu senão a completa destruição do alvo ou, na mais branda das hipóteses, a sua definitiva humilhação pública.

Numa de suas últimas postagens, o colunista da Veja firmou sua posição: ou o sr. Bolsonaro pede desculpas à sua colega Maria do Rosário, ou merece ter seu mandato cassado. Cassar o mandato de Maria do Rosário? Nem pensar.

Já disse, e reafirmo, que sou amigo do Reinaldo Azevedo e não deixarei de sê-lo por causa de uma opinião errada, depois de tantas certas e valiosas que ele já publicou. Mas esta de agora é tão errada, tão absurda, tão indefensável, que eu falharia ao meu dever de amizade se não alertasse o colunista para a injustiça que comete e o vexame a que se expõe.

Que a resposta do sr. Bolsonaro à sra. Maria do Rosário foi “uma boçalidade”, como a qualifica Reinaldo Azevedo, é certo e ninguém duvida. Mas o sr. Bolsonaro a pronunciou em resposta, não a “outra boçalidade”, como pretende Azevedo, e sim a uma falsa imputação de crime, que é por sua vez um crime. Reinaldo Azevedo exige que a boçalidade seja punida e o crime fique impune.

Como todo debatedor teimoso que se empenha na defesa do indefensável, Reinaldo se vê forçado a apelar a expedientes argumentativos notavelmente capciosos que, em situações normais, ele desprezaria.

Um deles é proclamar que a resposta do sr. Bolsonaro a Maria do Rosário transforma o estupro em uma “questão de mérito”. Quer dizer, pergunta Reinaldo, que, se Maria do Rosário merecesse, Bolsonaro a estupraria? Isso é deformar as palavras do acusado para lhe imputar uma intenção criminosa. Na verdade, Bolsonaro disse: “Se eu fosse um estuprador…” O restante da frase, portanto, baseia-se na premissa de que ele não o é, e só pode ser compreendido assim. Reinaldo parte da premissa inversa para dar a impressão de que o deputado fez a apologia do estupro. Com isso, ele endossa o insulto lançado pela deputada Maria do Rosário e usa essa premissa caluniosa como prova de si mesma. Raciocinar tão mal não é hábito de Reinaldo Azevedo, mas, como se sabe, o ódio político move montanhas: montanhas de neurônios para o lixo.

Pior ainda: tendo recebido centenas de objeções sensatas e racionais na área de comentários do seu artigo – inclusive as minhas –, ele não responde a nenhuma, mas tenta dar a impressão de que toda a oposição à sua versão dos fatos vem de “seguidores de Bolsonaro”, exemplificados tipicamente nos signatários de uma petição raivosa que exige a demissão do colunista de Veja. Fui ver a petição, e sabem quantos signatários tinha? Sete e não mais de sete (talvez agora tenha oito ou nove). Ao fazer desses sete os representantes da maioria que não pedia cabeça nenhuma, Reinaldo procedeu exatamente como os repórteres pró-petistas que, na massa de dezenas de milhares de manifestantes anti-Dilma, pinçaram cinco ou seis gatos pingados adeptos da “intervenção militar” para criar a impressão de que a manifestação era essencialmente golpista.

Fonte: Midia Sem Mascara
Autor: Prof. Olavo de Carvalho
Acesso: 21 dez 2014
Texto: Sobre Jair Bolsonaro: Olavo de Carvalho envia mensagem a Reinaldo Azevedo
Disponivel em: http://www.midiasemmascara.org/artigos/direito/15591-sobre-jair-bolsonaro-olavo-de-carvalho-envia-mensagem-a-reinaldo-azevedo.html

Fonte: Diario do Comercio
Autor: Prof. Olavo de Carvalho
Acesso: 21 dez 2014
Texto: Psicopatia e Histeria
Disponivel em: http://www.dcomercio.com.br/categoria/opiniao/psicopatia_e_histeria_


Que os governistas são totalmente histéricos comprova o vídeo a seguir:


Fonte: A Folha de Sao Paulo
Autor: Jair Bolsonaro
Texto: O Grito dos Canalhas
Disponivel em: http://www1.folha.uol.com.br/opiniao/2014/12/1563973-jair-bolsonaro-o-grito-dos-canalhas.shtml
Acesso em: 21 dez 2014


Autor: Alexandre Borges
Fonte: Facebook
Publicado em: https://www.facebook.com/AlexandreBorrges/photos/a.542916875766128.1073741828.542868939104255/799877550070058/?type=1
Acesso em: 21 dez 2014

Jo-soares-02

Alexandre Borges

Esqueça as “meninas do Jô”, é a hora e a vez do “rapaz do Jô”.

Tratado pela imprensa como “um rapaz”, um membro da platéia do Jô Soares se rebelou contra os ataques boçais a Jair Bolsonaro e saiu bravamente em sua defesa, como vocês já devem estar sabendo.

A reação negativa e estúpida de Jô, destratando o rapaz apenas com adjetivos vulgares, era previsível e é o que menos importa no episódio. O que é digno de nota é a reação espontânea e corajosa deste brasileiro cansado da doutrinação ideológica das celebridades globais e que ousou pensar e falar com a própria voz e consciência.

Falar mal do Jô no Facebook é mole, mas confrontar diretamente um dos mais conhecidos artistas do país em seu programa e em rede nacional, sabendo que poderia ser humilhado por ele em público, não é para qualquer um. Ainda há gente que honra as calças que veste no Brasil.

Esse “rapaz” precisa ser identificado, precisa ter nome, história e ter sua coragem reconhecida publicamente. Se alguém tiver informações sobre ele, por favor me passe para que repassemos ao deputado.

Acredito que Jair Bolsonaro deveria receber o rapaz em seu gabinete e mostrar que seu exemplo serve de estímulo para que outros brasileiros parem de tratar artistas, jornalistas ou intelectuais de esquerda como oráculos e semideuses. Quando saem das suas áreas de competência e falam de política, são meros mortais que podem e devem ser confrontados como qualquer pessoa comum.

O “rapaz do Jô” é um símbolo da náusea que a campanha de assassinato de reputação contra Bolsonaro está causando em seus eleitores e em todos que perceberam a boçalidade e a canalhice das críticas.

Desde que saiu de vez do armário vermelho, Jô Soares vinha recebendo críticas ácidas nas redes sociais, mas o que aconteceu ontem deveria ser visto como um divisor de águas.

Um viva para o “rapaz do Jô”!

[UPDATE] O nome dele é Renato Oliveira, uma informação que conseguimos aqui em poucos minutos após a publicação do post (chupa, imprensa!). Deixem uma mensagem de apoio para Renato aqui: https://www.facebook.com/renato.oliveira.9279

Jair Messias Bolsonaro agradece Renato Oliveira em vídeo: https://www.facebook.com/video.php?v=582009535263812

“Em seu programa, Jô repreende rapaz que grita palavras de apoio a Bolsonaro” http://televisao.uol.com.br/noticias/redacao/2014/12/17/em-seu-programa-jo-repreende-rapaz-que-grita-palavras-de-apoio-a-bolsonaro.htm

Tendo em vista os excelentes serviços prestados pelo comediante Jô Soares ao pêtê e aos esforços da esquerda em implantar o comunismo no Brasil segue minha sugestão sobre o programa do Jô:

jo-soares

Cuba Libre. Livre?!

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Justo quando os povos da América Latina lutam contra o estabelecimento da ditadura esquerdista na Venezuela, Argentina, Bolivia e agora, no Brasil, Barack Hussein Obama, o presidente mais esquerdista dos Estados Unidos (e o vídeo indicado, legendado, deixa isto mais do que claro) resolve reatar com Cuba.

O vídeo também comprova que foi um posicionamento ideológico, e não o desejo de maior democracia para a Ilha que estava por trás da ação de Barack Hussein em liberar (sem autorização do Congresso) o embargo americano a Cuba.

  • Cuba não admite liberdade de expressão;
  • Cuba não libertou os presso políticos;
  • Cuba não se abriu para o pluripartidarismo;

Estas são algumas das condições que levaram ao embargo pelos Estados Unidos.

Texto a seguir eu trouxe da página “Meu professor de Historia mentiu para mim 2” que também indica o vídeo abaixo:

“O senador republicano Marco Rubio, 43 anos, uma das estrelas em ascensão no partido, fala sobre Cuba com a autoridade de quem nasceu e foi criado na Flórida em meio a comunidade cubana no estado. Ele é filho de imigrantes cubanos fugidos da ilha-presídio e entende como poucos o significado deste gesto. Nesta entrevista, ele comenta a decisão puramente ideológica de Barack Obama de financiar a ditadura castrista que fez a festa da esquerda mundial e de certa “direita”.

O vídeo, legendado pelos Tradutores de Direita, foi publicado no blog do Felipe Moura Brasil: http://abr.ai/1AqtgCq

Link do vídeo: http://youtu.be/eiMDdE-AQr0

“Cuba sem embargo e a esquerda mundial em festa” http://on.fb.me/1GTXxK7 https://www.youtube.com/watch?v=eiMDdE-AQr0&feature=youtu.be

Outras matérias publicadas sobre o assunto: ,b.Lembrar que as respectivas seções de comentários – quando existem – enriquecem bastante o próprio conteúdo da página

Página Ceticismo Político
Obama, Cuba e os zumbis bolivarianos

O despertar dos zumbis bolivarianos 2 – Alucinação e teatro sobre o acordo entre Estados Unidos e CubaO despertar dos zumbis bolivarianos 2 – Alucinação e teatro sobre o acordo entre Estados Unidos e Cuba

Blog do Reinaldo de Azevedo
Sabem que importância tem o acordo entre Obama e os Irmãos Castro? Nenhuma!

Cartas do papa Francisco abriram caminho para acordo entre EUA e Cuba

Cuba e EUA – Bloqueio só fornece munição ideológica ao Coma Andante e ao Anão Tarado

EUA e Cuba trocam prisioneiros. Obama deve anunciar mudanças nas relações com a ilha

,A href=”http://www.midiasemmascara.org/” tarfet=”_blank”>Mídia Sem Máscara
Três notinhas da semana

Obama e Raúl esqueceram o principal

Por que expor a monstruosidade moral de Maria do Rosário e sua tropa não é “defender Jair Bolsonaro”?

Não resta dúvida que estão sendo hipócritas os falsos moralistas que acusam o Bolsonaro e ao mesmo tempo defendem a pedofilia e assassinos e estupradores de qualquer idade.

Obviamente, Bolsonaro só respondeu à ministra Maria do Corsário no mesmo tom que ela usou, como qualquer aluno do segundo grau responderia a uma colega que atacasse sua hombridade. Maria do Corsário acusou Bolsonaro de estuprador, um verdadeiro chute no saco de um homem de bem, ele devolveu o chute que recebeu batendo no que qualquer mulher tem de mais precioso, sua vaidade, chamou-a de horrorosa! Tão horrorosa que nem mesmo valia a pena ser estuprada.

Se ela sentiu o soco na boca do estômago, ponto para o Bolsonaro!

E, se ela não sentiu, mas a petralhada sim. Ponto maior ainda para o Deputado, pois atingiu em cheio aqueles que aplaudiram o ódio da Chauí à classe média e aplaudiram a Ghiraldeli, o professor universitário, este sim, um verdadeiro canalha, que escreveu com todas as letras que queria que a Sheherazade fosse estuprada.

https://www.facebook.com/AlexandreBorrges/photos/a.542916875766128.1073741828.542868939104255/797746593616487/?type=1

ele-nao-abre-mão

Há quem me pergunte: “por que defender Jair Bolsonaro?”.

Este blogueiro que vos escreve não está defendendo Jair Bolsonaro, mas denunciando uma aberração moral praticada durante a semana, na qual a histeria deu lugar ao julgamento racional de valores.

Como já disse anteriormente, é claro que podemos definir o discurso de Bolsonaro dizendo que “Maria Rosário não merece ser estuprada” (na verdade, ele a chamou de mocréia) como algo mais grosso que dedo destroncado. Mas ainda assim, ele é a vítima da história. O máximo que ele encontrou em um momento no qual sofreu um gravíssimo crime levando-o a se destemperar foi uma piada ácida e incômoda.

Imagine um momento em que dois lutadores estão se encarando em uma luta, quando um deles cospe no rosto do outro. Este responde com um xingamento sem nenhum problema maior que não a grosseria. Se a mídia passa a considerar que o xingamento “ultrapassa…

View original post mais 371 palavras

Em nome da Justiça

Maramures-Romenia-monumento-às-vítimas-do-comunismo-676x507
Maramures- Romênia – Monumento às Vítimas do Comunismo

Atualizado em 14/12/13

Outras publicação sobre o mesmo tema:

Autor: Rodrigo Constantino
Publicado em: Blog do Rodrigo Constantino
Título: Os 126 fantasmas que assombram a esquerda
Disponível em: http://veja.abril.com.br/blog/rodrigo-constantino/historia/os-126-fantasmas-que-assombram-a-esquerda/
Acesso em: 14 dez 2014

Autor: Luciano Ayan
Publicado em: Ceticismo Político
Título: Haja saco para mais encenação: Dilma chora ao receber relatório final da Comissão da Verdade
Disponível em: http://lucianoayan.com/2014/12/10/haja-saco-para-mais-encenacao-dilma-chora-ao-receber-relatorio-final-da-comissao-da-verdade/
Acesso em: 14 dez 2014

Autor: Augusto Nunes
Publicado em: Blog do Augusto Nunes
Título: O terrorista que matou o companheiro de luta armada está fora da lista da Comissão da Verdade e o assassinado foi condenado ao esquecimento perpétuo. Haja cinismo
Disponível em: http://veja.abril.com.br/blog/augusto-nunes/direto-ao-ponto/o-terrorista-que-assassinou-um-companheiro-de-luta-contra-a-ditadura-esta-fora-da-lista-da-comissao-da-verdade-a-vitima-tambem/
Acesso em: 14 dez 2014
—-

Relatório da Calúnia

Autor: Paulo Chagas
Fonte : Alerta Total
Disponível em: http://www.alertatotal.net/2014/12/relatorio-da-calunia.html
Acesso em: 12/12/14

Mais uma vez assisti a encenação das lágrimas da terrorista que nos governa.

Será que derramou alguma delas pelos inocentes que morreram vitimados pelos atos criminosos dos que com ela ombreavam e que, propositadamente, deixaram de ser lembrados no relatório que lhe trouxe tanta saudade e emoção?

Reporto-me a seu passado de ativista, idealizadora e partícipe de atos de guerrilha urbana, do qual tem tanto orgulho, e fico a imaginá-la aos gritos de exultação a cada sucesso de seus atentados.

Mais uma vez a vi mentir ao dizer que lutou pela democracia. Quanta hipocrisia!

Há muito venho falando e escrevendo sobre a comissão nacional da verdade, ou da “calúnia”, como lhe ficaria mais justa a denominação. Todas as vezes em que me referi ao relatório que estava a produzir o fiz com a convicção de que se tratava de algo inútil e falso, porquanto, desde sua criação, a comissão pautou seu trabalho pela linha da ilegalidade e do sectarismo.
Hoje, recebi da própria CNV a comprovação do que disse e escrevi. Trata-se, de fato, de um agrupamento de pessoas selecionadas entre as mais comprometidas com os interesses ideológicos da facção criminosa que ocupa o poder da república. Esta, por sua vez, comprometida com a desonestidade, com a corrupção, com o desvio de recursos públicos e, dentre tantas outras adjetivações da canalhice, visceralmente amancebada com a mentira e radicalmente avessa à democracia!

Mesmo sem ler o extenso e inócuo relatório, encontro a prova da sua falsidade na lista de autoridades militares ditas como envolvidas em graves violações dos direitos humanos, porque nela consta, entre outros cujo passado ilibado conheço, o nome do meu pai, Gen Div Floriano Aguilar Chagas, já falecido.

A calúnia, o desrespeito e a covardia embutidos neste fato merecem e terão muito mais do que o meu veemente repúdio.
As pessoas que conheceram meu pai e que sabem e compartilham da admiração que meus irmãos, eu e nossas famílias dedicamos a ele, à sua memória e à sua obra – como cidadão, soldado, pai e amigo – podem avaliar o tamanho da revolta que se apossa de nós todos.

Nós e os amigos do meu pai não permitiremos que suas cinzas sejam usadas impunemente na tentativa de desviar a atenção da sociedade para o lado oposto da realidade e da verdade.

Nada mais oportuno para o governo corrupto da terrorista Dilma Rousseff do que a cortina de fumaça que inutilmente quer produzir para comover a sociedade e tentar encobrir os crimes que tem cometido contra o patrimônio nacional, protagonizando os momentos mais obscuros e vergonhosos jamais vividos pela Nação.

Meu pai foi, em março de 1964, contra-revolucionário de primeiro momento. Tenho muito orgulho de conhecer o desassombro com que, de imediato, ele e seus camaradas do Comando da 2ª Divisão de Cavalaria aderiram ao movimento salvacionista. Tenho muito orgulho do seu desempenho como Adido Militar junto à Embaixada do Brasil em Buenos Aires, onde conquistou admiradores para toda a vida, dizendo, com sinceridade e convicção, que em sua carreira andarilha de Soldado de Cavalaria acostumara-se a percorrer fronteiras e a cruzá-las para encontrar os amigos, irmãos sul americanos.

De que forma teria ele, como querem fazer crer os comissários, “atentado contra os direitos humanos” enquanto praticava com maestria e elegância a diplomacia militar?

Meu pai foi um homem de sucesso porque, sendo justo e rigoroso com todos e intransigente consigo mesmo, não fez inimigos nem teve desafetos, só amigos fieis e admiradores sinceros.

Um velho poema hebraico, cuja essência é a essência do caráter do soldado, diz: “Três verdades há no mundo; a verdade e a verdade e o fulgor da verdade.”

Eles responderão pela calúnia!

Paulo Chagas é General de Brigada, na reserva.

Enquanto Dilma derrama lágrimas de crocodilo pelos terroristas companheiros que foram mortos na luta armada contra o governo militar, esquece dos inocentes assassinados por ela e seus amigos na luta em que se empenhavam e que ela continua se empenhando, no sentido de implantar no Brasil a ditadura sanguinária socialista.

Lista das vítimas dos terroristas durante o regime militar, não investigados pela (c)Omissão da Verdade!

http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/geral/os-mortos-sem-sepultura-historica-da-comissao-da-farsa-1-os-assassinados-pelas-esquerdas-antes-do-ai-5/

http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/geral/os-mortos-sem-sepultura-historica-da-comissao-da-farsa-2-muitas-das-vitimas-eram-pessoas-comuns-so-tiveram-a-ma-sorte-de-cruzar-com-um-esquerdista/

http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/geral/os-mortos-sem-sepultura-historica-da-comissao-da-farsa-3-ou-a-impressionante-covardia-de-carlos-lamarca/

http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/geral/os-mortos-sem-sepultura-historica-da-comissao-da-farsa-4-o-alto-grau-de-letalidade-daqueles-humanistas/

As ditaduras e a Imprensa

liberdade-de-imprensa

O Silêncio mata a Democracia, mas uma Imprensa Livre fala!

Liberdade de Imprensa

Texto de Ludwig von Mises.

misesA liberdade de imprensa é um dos pontos fundamentais de um país de cidadãos livres. É um dos itens essenciais do programa político do velho liberalismo clássico. Até hoje, ninguém conseguiu apresentar objeções convincentes contra a argumentação de duas obras clássicas: Areopagitica, de John Milton, em 1644, e On Liberty, de John Stuart Mill, em 1859. Imprimir livros proibidos é o sangue vivo da literatura.

A imprensa livre só existe onde os controles dos meios de produção é privado. Na comunidade socialista, na qual todos os meios para publicar e as máquinas impressoras pertencem e são acionadas pelo governo, não pode existir imprensa livre. O governo determina sozinho quem deve dispor de tempo e de ocasião para escrever, bem como o que deve ser impresso e publicado. Comparado com as condições predominantes na Rússia soviética, até a Rússia dos czares, retrospectivamente, parece um país de imprensa livre. Quando os nazistas realizaram o famoso auto-de-fé do livro, agiram perfeitamente com o que preconizou um dos maiores autores socialistas, Cabet1.

Como todas nações estão caminhando para o socialismo, a liberdade dos autores desaparece pouco a pouco. Torna-se cada dia mais difícil para alguém publicar um livro ou artigo cujo conteúdo não agrade ao governo ou a fortes grupos de pressão. Os hereges não são, no entanto, “liquidados”, como na Rússia, nem seus livros são queimados por ordem da Inquisição. Também não há retorno ao velho sistema de censura. Os que se consideram progressistas dispõem de armas mais eficientes. Seu principal instrumento de opressão é boicotar autores, organizadores, editores, livreiros, impressores, anunciantes e leitores.

Qualquer um é livre para abster-se de ler livros, revistas e jornais que lhe desagradam, assim como para recomendar a outros que evitem esses livros, revistas e jornais. Mas a coisa muda de figura quando algumas pessoas ameaçam outras com graves represálias, caso estas não deixem de patrocinar certas publicações e seus editores. Em muitos países, os editores de jornais e revistas ficam apavorados com a ameaça de boicote por parte dos sindicatos. Evitam discussões abertas sobre o assunto e tacitamente cedem às ordens dos líderes sindicais2. Esses líderes “trabalhistas” são muito mais delicados do que as majestades reais imperiais das épocas passadas; não admitem gracejos. Sua instabilidade rebaixou a sátira, a comédia e a comédia musical do verdadeiro teatro e condenou os filmes à esterilidade.

No ancien régime3 os teatros tinham liberdade para apresentar as zombarias de Beaumarchais4 sobre a aristocracia e a ópera imortal composta por Mozart. Sob o segundo império francês5, a “Grã Duquesa de Gerolstein“, de Offenbach e Halévy, parodiou o absolutismo, o militarismo e a vida na corte. O próprio Napoleão III e outros monarcas europeus divertiam-se com a peça que os ridicularizava. Na época vitoriana, o censor dos teatros britânicos, Lord Chamberlain, não proibiu a exibição das comédias musicais de Gilbert e Sullivan que faziam pilhérias de todas as veneráveis instituições do sistema de governo britânico. Os lordes lotavam os camarotes enquanto, no palco, o Conde Montararat cantava: “The House of Peers made no pretence to intellectual eminence” (A Casa dos Nobres não tem nenhuma pretenção a destaque intelectual).

Hoje em dia, não se pode fazer a mínima paródia no palco a respeito dos poderes existentes. Nenhuma observação desrespeitosa sobre sindicatos, cooperativas, empresas dirigidas pelo governo, déficits orçamentários e outros aspectos previdenciário é tolerada. Os líderes sindicais e os burocratas são sagrados, e o que resta para comédia são os assuntos que tornaram a opereta e afarsa de Hollywood execráveis.

Fonte:
MISES, Ludwig von. A Mentalidade Anticapitalista. Tradução: ABREU, Carlos dos Santos. 2013. Campinas:VIDE Editorial (sob licença do Instituto Liberal – RJ). Pgs. 89-91. ISBN 978-85-62910-22-7.


1. Cf. Cabet, Voyage en Icarie, Paris, 1848, p. 127.
2. Sobre o sistema de boicote estabelecido pela Igreja Católica, cf-P. Blanshard, American Freedon and Catholic power, Boston, 1949, pp. 194-198.
3. O ancien régime (o “antigo regime) era o sistema social e político, monárquico, aristocrático estabelecido na França desde, aproximadamente o século XV até o final do século XVIII, quando foi derrubado pela Revolução.
4. Beaumarchais autor das peçasO Barbeiro de Sevilha, As Bodas de Fígaro e A Mãe Culpada, peças consideradas subversivas pelos governos imperiais da época e citadas pelos historiadores como instigadoras da Revolução Francesa.
5. O retorno á monarquia institucional na França, após as guerras napoleônicas que se seguiram ao fracasso da Revolução

Livro em PDF sobre as urnas eletrônicas

monstro-do-pantano-mmiller-5-2012
Ontem, na manifestação aqui no Rio de Janeiro, um senhor, ex funcionário do Banco do Brasil, indicou aos presentes a leitura do livro Burla Eletrônica1, que trata do assunto urnas eletrônicas.

Também na manifestação de ontem, rolou uma informação (que ainda não consegui confirmar) dizendo que tais urnas seriam, agora, utilizadas em toda a América do Sul, pelo menos nos países bolivarianos aliados: Brasil, Argentina, Venezuela, Equador, Bolívia, Uruguai etc. A ser confirmado, o assunto merece a mais séria consideração pois é uma excelente exemplo da “democracia” comunista se apossando ao mundo digital.

Pesquisando na Internet (Google) encontrei a informação no blog Partido Militar Brasileiro transcrita como nota sem data do secretário do PDT: http://pmbnacional.blogspot.com.br/2013/11/burla-eletronica-conheca-este-livro-i.html

No sítio do Centro de Mídia Independente (CMI) do Brasil, encontrei o livro foi disponibilizado em PDF e pode ser baixado do seguinte endereço:

http://www.brunazo.eng.br/voto-e/arquivos/BurlaEletronica.pdf

Recomendo a leitura cuidadosa e criteriosa porque pode ser desinformação. Explico, durante a análise dos lugares onde encontrei as informações sobre este livro me surgiram as seguintes suspeitas (meramente especulativas):

  • O que é esse Partido Militar Brasileiro?
  • Se é mesmo um Partido militar, o que uma nota do PDT (fundado por Brizola que, logicamente, jamais seria citado como creditável num sítio “militar”) o que está fazendo nesse blog?
  • Que centro de Mídia Independente é esse, num país em que toda a mídia está vendida ao governo?

1. FILHO, Amilcar Brunazo et al. Burla Eletrônica. Rio de Janeiro:Fundação Alberto Pasqualini. Disponível em: http://www.brunazo.eng.br/voto-e/arquivos/BurlaEletronica.pdf; Acesso em: 07/12/15