Gene Sharp – Da Ditadura à Democracia – Uma estrutura conceitual para a libertação

Fonte: Álbum de fotos da Komby de Idacildo

Fonte: Álbum de fotos da Komby de Idacildo

Fonte: Facebook de Idacildo Balay Cortes, de Natal, Rio Grande do Norte, que teve sua Kombi pichada por falar mal do PT. Acesso em 18 nov 2014.

Sobre ditaduras

O livro de Gene Sharp, que dá título a esta matéria contém muita informação útil sobre o que pode ser feito pelo povo como resistência pacífica (que ele define como “Desafio político”) às ditaduras.

Talvez alguns se perguntem até que ponto não parece meio histérico se rotular o atual governo petista de ditatorial.

”Infelizmente, o passado ainda está conosco. O problema das ditaduras é profundo. Pessoas em muitos países vêm experimentando décadas ou mesmo séculos de opressão, seja de origem nacional ou estrangeira. Com frequência, a submissão cega a figuras de autoridade e governantes tem sido inculcada por muito tempo. Em casos extremos, as instituições sociais, políticas, econômicas, religiosas e até mesmo da sociedade – fora do controle do estado – foram deliberadamente enfraquecidas, subordinadas, ou mesmo substituídas por novas instituições arregimentadas utilizadas pelo Estado ou pelo partido governante para controlar a sociedade. A população tem sido muitas vezes atomizada (transformada em uma massa de indivíduos isolados) incapazes de trabalhar juntos para alcançar a liberdade, confiar uns nos outros, ou até mesmo fazer muita coisa por sua própria iniciativa.

Fonte: SHARP, Gene. Da Ditadura à Democracia. Uma estrutura conceptual para a libertação. Tradução: FILARDI, José a. S. 4ª Edição. São Paulo: . 2010. ISBN 1-880813-09-2. Página 8. (ênfase acrescentada)[1]

Revise os trechos destacados e responda se não é exatamente isto que o partido do Governo fez e continua fazendo nestes 12 anos que detém o poder? O PT se infiltrou rigorosamente em todas as instituições citadas no trecho, inclusives as instituições sociais, como ONGs que, como o próprio título indica são não governamentais, entidades de classe como a OAB, a ABI, os Conselhos Regionais e até mesmo nas religiosas onde, apesar do paradoxo de uma religião defender o socialismo ateu, ele tem pastores e padres engajados e que instruem e incentivam seus rebanhos a apoiar o partido e suas linhas auxiliares (PSOL, PSTU, PCdoB etc.)..

Mais dois pontos citados resultado de um único sentimento inculcado na população pelas ditaduras e que podemos dizer se repetem no Brasil:

    • O primeiro, se refere à incapacidade da população trabalhar junto em prol de sua própria liberdade; e,
    • a incapacidade de, por iniciativa própria o povo poder fazer algo no sentido de mudar a realidade que o cerca.

sendo, em ambos os casos, o medo da retaliação e de perseguição, o principal motivo que leva as pessoas a se calar.

Em pelo menos dois ambientes vemos isso acontecendo. Um deles é nos empregos públicos e nas estatais, onde os funcionários não colaboradores com o partido governista são afastados de suas posições e mantidos fora de qualquer plano de carreira em que o avanço não é automático, mas dependa de suas gerências superiores.

Um segundo ambiente é na mídia onde veículos, jornalistas, artistas e outros formadores de opinião só têm destaque, divulgação e muitas vezes mesmo, o próprio direito à subsistência, como nas recentes chantagens promovidas pelo governo contra empresas com ao Abril e o SBT, se forem apoiadores do governo.

Gene Sharp afirma que protestos em massa de curta duração e manifestações por si só serão ineficientes se não conseguirem superar o medo do povo e o hábito da obediência, pré-requisitos necessários para destruir a ditadura. Estas portanto são premissas básicas que os movimentos resistência devem buscar se haverão de levar a bom termo o processo de exclusão do governo ditatorial. (SHARP, Gene, op. cit. p.8)

O exemplo do amigo Idacildo, de Natal e ilustrado na foto que encabeça esta matéria é mais uma evidência de que o PT e seus defensores nunca foram democráticos. Não podemos nos deixar enganar: vivemos, sim, numa ditadura e cabe a nós, o que prezamos a nossa liberdade, nos organizar para agir contra a ditadura petista.

Mas estas não são as únicas razões porque o atual governo do PT se consolida cada vez mais como uma ditadura. À medida em que for publicando minhas análises sobre o livro de Gene Sharp, outras evidências da ditadura petista, que talvez passem despercebidas pela maioria dos brasileiros, serão acrescentadas.

Atualizado em 18 nov 2014

01 – Sobre Gene Sharp:
Sítio do Gene Sharp (em português): http://daditaduraademocracia.wordpress.com/
Acesso em: 18/11/14

Livro “Da ditadura à democracia” (edição original em inglês): http://www.aeinstein.org/wp-content/uploads/2013/09/FDTD.pdf
Acesso em: 18/11/14

Livro “Da ditadura à democracia” (edição em português): http://bibliot3ca.files.wordpress.com/2011/03/da-ditadura-a-democracia-gene-sharp2.pdf
Acesso em: 18/11/14 (Volta)

One comment on “Gene Sharp – Da Ditadura à Democracia – Uma estrutura conceitual para a libertação

  1. […] apontei aqui várias atitudes do PT que indicam o partido como agindo ditatorialmente. Na verdade, apenas […]

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s