A Maior Vergonha

Acho que todos nós, os que há 12 anos sofremos nas garras do petê teríamos muito a acrescentar ao texto a seguir. Ne entanto ele é tão brilhante nas suas colocações que qualquer adição apenas embotaria seu brilho. Por isso eu o mantenho na íntegra sem comentários adicionais. Convido os que aqui chegarem a lê-lo e meditar sobre o que está escrito.

Autor: Fernando Augusto De Luca
Fonte: A Verdade Sufocada
Disponível em: http://averdadesufocada.com/index.php/corrupo-notcias-94/11040-150714-a-maior-vergonha-que-o-pais-ja-viveu
Acesso em: 17 jul 2014

A maior vergonha que o país já viveu!

Da vergonha do xingamento à vergonha real…
Por Fernando Augusto De Luca*
Para Lula, vaias à Dilma na abertura são “a maior vergonha que o país já viveu”.
Os palavrões à instituição, Presidente, realmente, não tiveram razão de ser… Uma sonora vaia já seria suficiente… Porém, vergonha, Lula, é sua covardia em se esconder na abertura da copa, a copa que você trouxe para o Brasil, deixando sua pupila entregue aos leões da elite…
Vergonha é você nunca saber de nada…
Vergonha é você falar que Dilma era a única com cara de pobre no estádio (coisa que ela não tem).
Vergonha é você dizer que lá só estava a elite branca, mesmo com a presença de inúmeros de seus asseclas e a presença de duas torcidas organizadas do seu time…
Vergonha é você ter sido racista ao dizer que lá não tinha nenhum moreninho…
Vergonha é você dizer que essa é uma copa feita para o povo, sendo que sabia desde o início que só a elite teria dinheiro para pagar o ingresso…
Vergonha é você fomentar o ódio de classes dizendo que só existe uma classe de trabalhadores no Brasil…
Vergonha é você criticar a elite que acorda cedo e trabalha 12 horas por dia (coisa que você nunca fez).
Vergonha é sua hipocrisia, pois critica a elite ao mesmo tempo em que anda de helicóptero, toma uísque 18 anos e vinhos que ultrapassam a cifra de R$ 1.000,00…Vergonha é ter filhos já milionários, tão novos, sem justificarem tal patrimônio…
Vergonha são os amigos dos seus filhos viajarem de graça no avião presidencial…
Vergonha é o negócio escuso entre a Gamecorp e a Telemar…
Vergonha é você dizer que Genoíno, Dirceu e Delúbio não são gente de sua confiança…
Vergonha é o Genoíno e Delúbio, auto proclamados sem posses, bancarem dois dos advogados mais caros do país…
Vergonha é você condenar a elite por xingar a presidente e se omitir quando um membro do conselho de “ética” do PT ameaça de morte o presidente do STF…
Vergonha é você ter chamado de hipocrisia a decisão do STF de condenar os réus do mensalão e dizer que foi uma condenação política…
Vergonha é um deputado estadual do PT fazer reuniões com membros do PCC…
Vergonha é ver você trocando agrados com Maluf, Sarney, Collor, Renan…
Vergonha é ouvir você dizer que em Cuba e Venezuela impera a plena democracia…
Vergonha é você ter extraditado os pugilistas cubanos…
Vergonha é você não ter extraditado o terrorista Cesare Battisti…
Vergonha é saber que os assassinatos do Celso Daniel e do Toninho do PT jamais serão esclarecidos…
Vergonha é você, Dilma e todos os políticos inaugurarem obras inacabadas ou inexistentes…
Vergonha é saber o que você e seu partido fizeram com a Petrobras…
Vergonha é você praticamente ter duplicado o número de ministérios para acomodar seus prosélitos…
Vergonha é você se orgulhar de não ler e de não ter estudado…
Vergonha é você enganar o povo com seus discursos dissimulados…
Vergonha é sermos taxados com impostos escorchantes e não termos nada em troca…
Vergonha é o sistema de saúde no Brasil… (você sabe bem disso, pois trata sua saúde no Sírio Libanês como todos da elite branca).
Vergonha é o que a população brasileira enfrenta todos os dias com transporte público precário, saúde deplorável, educação e segurança inexistentes…
Vergonha é ter tido você como nosso presidente…

*Sou cirurgião dentista formado pela UNESP, especialista pela USP, literalmente um membro da elite branca que acorda à 5:30 para ir trabalhar, paga impostos rigorosamente em dia e faz, dentro de suas possibilidades, o possível para aplacar o sofrimento dos menos favorecidos.

Cotas Raciais

raca-brasilFonte: http://slideplayer.com.br/slide/1269717/ Acesso em: 13 jul 2014

As cotas raciais tiveram um único grande mérito para mim. Foram o primeiro movimento esquerdista que me mostrou haver algo muito errado com o raciocínio e a lógica dos governistas e isso ainda no governo FHC. Obviamente essa falha lógica se tornou endêmica depois do petê assumir o poder.

Não conseguia entender porque estender o privilégio a uma “raça” – conceito anticientífico, que na realidade nem existe – para suprir a deficiência de representação de pessoas da tal “raça” nas nossas universidades.

A questão racial no Brasil é tão ridiculamente desconsiderada pelo povo nas ruas, que a liderança do movimento negro brasileiro, para se justificar seu coitadismo de “maioria ‘negra’ prejudicada pela minoria ‘branca'” foi obrigada a incluir na categoria de “raça negra” todos os nossos mestiços como mulatos, caboclos, caiçaras, mamelucos, cafusos etc.

Segundo meu entendimento, era óbvio que o baixo números de pessoas de cor nas universidades não se devia a um pretenso “preconceito racial” mas a uma falta de preparo que os tornasse competentes para se formar em bons médicos, bons advogados e bons engenheiros. portanto a causa estava na formação básica dada a essas pessoas nas Escolas Públicas cujos exemplares de referência na área de educação sempre foram raros.

Mas o que se via na área da educação pública era o MEC cada vez mais diminuindo os padrões de qualidade do ensino público com normas que excluíam do currículo matérias consideradas ou difíceis de mais ou impróprias e, até mesmo, impedindo a reprovação de alunos, premiando a incompetência e a vagabundagem.

Para mim era claro que se queríamos mais negros, morenos, cafusos etc. nas nossas Universidades tínhamos que melhorar o padrão de ensino e as exigências de classificação nos cursos mais fundamentais. Mas isto nunca foi o que os Governos fizeram.

Vendo que nada além dos conceitos e justificativas dos racistas negros era escrito em nossa imprensa, comecei a procurar livros e outros materiais na Internet sobre o assunto e foi quando encontrei as matérias publicadas pelo professor e filósofo Olavo de Carvalho nos seus livros “O Imbecil Coletivo I” e “O Imbecil Coletivo II” e os comentários do jornalista Reinaldo de Azevedo, publicados em seu blog.

Mais adiante, comprei o livro “Uma Gota de Sangue” de Demétrio Magnoli, uma excelente compilação que conta a história das ações afirmativas e do seu uso pelo movimento negro nos Estados Unidos para obtenção de privilégios e como através, principalmente, da ação no Brasil da Fundação Ford a estratégia utilizada naquele país para criar um movimento de ódio racial foi sendo paulatinamente implantada no Brasil até chegar às atuais “cotas raciais”. E isso ignorando o fato já mencionado, de que a maioria da população brasileira é composta por mestiços e não negros além de nem sequer considerar que no Brasil nunca ocorreu uma guerra racial como a que havia nos EUA no início do século XX, onde, entre outras arbitrariedades, um negro tinha banheiros e bebedouros públicos separados dos brancos, tinha que sair da calçada se um branco estivesse vindo em sua direção ou tinha que se sentar no fundo dos ônibus ou caso estivesse sentado fora de “seu lugar” , fosse obrigado a se levantar para ceder o lugar para um branco. Escandalosamente absurda e mentirosa é essa tentativa de igualar o Brasil e os Estados Unidos em termos de racismo. Mas eles conseguiram, mesmo assim impor suas ideias sem que a Sociedade que estava sendo estuprada pelo movimento negro pudesse se defender.

Bem o assunto até hoje é motivo de disputa porque as tais “cotas raciais” estão sendo implantadas sem que possa ser debatido na Sociedade de maneira transparente, como ilustram as duas matérias que estou indicando a seguir por dois motivos, primeiro para divulgar a má fé e o mau-caratismo dos que defendem as tais cotas e para esclarecer porque as cotas são injustas, além de ferir a dignidade dos que por elas são beneficiados.

São injustas, porque impedem que pessoas melhor preparadas entrem para as Universidades se as vagas disponíveis para tais tiverem se “esgotado”, restando apenas as vagas reservadas para as “cotas”.

Ferem a dignidade dos cotistas, os “negros”, porque passam a mensagem que, mesmo que lhes fosse dada uma educação básica pelo governo, igual a que a maioria dos aprovados nas Universidades recebiam, eles não teriam competência para competir com os demais não cotistas e que só foram admitidos às Universidades por que tinham as vagas das “cotas” reservadas para eles.

Além disso as “cotas” expõem a população a riscos incalculáveis resultantes da colocação no mercado de profissionais incompetentes, mal capacitados e despreparados para cuidar do povo brasileiro a quem deverão prestar seus serviços quer como médicos, quer como engenheiros, quer como advogados ou profissionais de qualquer outra área para a qual um curso superior de qualidade é fundamental.

Esta semana o tema foi novamente matéria de destaque na Coluna do Rodrigo Constantino: Programa “Na Moral”, de Pedro Bial, tem barraco em debate sobre cotas e sai do ar sendo, posteriormente objeto de mais esclarecimentos na página Amálgama: Atualidade e Cultura, no excelente artigo Cotas raciais e o racismo do movimento de negros, publicado por Eder de Souza

Seguem os “links” para as duas matérias: